• (11) 4013-2818 | 4013-0904

Dúvidas Frequentes

Dúvidas Frequentes

ACNE

Estou com 16 anos e tenho muitas espinhas nas costas. O que eu faço? Até quando isso vai me incomodar?

O tratamento das espinhas nas costas é parecido com o do rosto. Se o seu caso for leve ou moderado, indicamos sabonetes anti-acne, como os à base de ácido salicílico ou enxofre, e produtos tópicos como loções à base de peróxido de benzoila, ácido salicílico ou ácido retinóico, dentre outros. Dependendo do caso, antibióticos tópicos ou por via oral também ajudam, assim como fazer limpeza de pele regularmente. É difícil passar todos os dias creme nas costas. Pior ainda se a prescrição incluir um creme de manhã e um à noite. Mas se você tem espinhas nas costas e se isso incomoda, você tem que se esforçar.

Para casos graves, além das opções descritas, existe a opção da isotretinoína. Discuta essas alternativas com seu dermatologista. E quanto ao tempo que essas espinhas vão incomodar, geralmente elas duram até o final da adolescência. Há pessoas que continuam a ter espinhas por mais tempo, mas isso é menos freqüente.

Tenho crises de espinhas na época da menstruação. Depois, ficam manchas que não somem. Como me livro das manchas?

Primeiro você deve procurar tratamento para diminuir suas crises de espinhas. Caso contrário, novas manchas sempre surgirão. Isso resolvido, cuide das manchas. Você pode clarear sua pele, por exemplo, através de peelings químicos ou de produtos despigmentantes para uso em casa, contendo ingredientes como hidroquinona ou ácido kójico. Existem vários produtos com finalidade clareadora, formulados ou industrializados.

Discuta com um especialista o que é melhor para você.

Complexo B ajuda a diminuir espinhas?

Não, muito pelo contrário. Em algumas pessoas, as vitaminas do complexo B desencadeiam ou agravam o quadro de acne. Nessas pessoas, se possível, o uso do complexo B deve ser interrompido.

Tenho 35 anos e ainda tenho espinhas. Já usei diversos cremes. Na última consulta um médico me aconselhou a tomar pílula anticoncepcional. De fato, o problema suavizou. Continuo tomando a pílula, mas gostaria de saber o que está acontecendo comigo?

Você tem o que chamamos de acne na mulher adulta. Esse problema é cada vez mais frequente, não tem causa bem definida e pode estar relacionado ao stress e ao modo de vida moderno. Esse tipo de acne incomoda e costuma persistir por muitos anos. O tratamento, apesar de eficaz, precisa ser mantido por longo período. Os tratamentos variam de acordo com a intensidade da acne. Casos leves melhoram com produtos de uso tópico como cremes, loções adstringentes ou secativos. Casos intensos requerem tratamento por via oral.

A pílula anticoncepcional é boa opção, pois bloqueia a ação de hormônios masculinos (que toda mulher tem), muito associados ao surgimento das espinhas. Dependendo do caso, indica-se tratamento com isotretinoína, um remédio por via oral potente.

Stress agrava o problema, bem como o uso de cremes gordurosos no rosto. Se você usa maquiagem, procure uma que seja livre de óleo, mais apropriada para peles com acne.

E não tenha preguiça de remover completamente a maquiagem ao final do dia.

Para não piorar sua pele, controle a tentação e não esprema nem cutuque as espinhas. Além de piorar, isso aumenta a tendência a desenvolver manchas e marcas definitivas.

Gostaria de tomar isotretinoína, mas tenho medo dos efeitos colaterais. Qual sua opinião?

Não é fácil a decisão de tomar isotretinoína. Como há vários efeitos colaterais, alguns sérios e assustadores, o paciente e sua família devem refletir, conversar, pesar prós e contras. Por um lado, as espinhas incomodam. Por outro lado, será que vale a pena tomar um remédio tão forte que pode sobrecarregar o fígado? Será que vale a pena dar um tempo nas bebidas alcoólicas, fazer exame de sangue para monitorar uma possível – mas improvável – hepatite medicamentosa, parar de tomar sol durante o tratamento? Isso sem falar na questão da má-formação no nenê se a mulher engravida durante ou um mês após terminar o tratamento. Pensando assim, o tratamento parece um tiro de canhão. Afinal, são só espinhas, não é mesmo? Mas há casos e casos.

Para uma pessoa com poucas espinhas, o tratamento não vale a pena. Mas se as espinhas incomodam muito, a qualidade de vida se prejudica. A pessoa nunca se sente bonita, a autoestima é afetada. Estudos mostram maior incidência de depressão em adolescentes com quadros moderados ou severos de acne. E se você tem tendência a cicatrizes de acne, esse é o melhor jeito de preveni-las.

A decisão de tomar ou não isotretinoína depende de uma boa discussão entre médico, paciente e seus familiares. Todo paciente que decide tomar isotretinoína precisa estar muito motivado, e muitíssimo bem orientado.

CABELOS

Por que surgem pontas duplas nos cabelos?

As pontas duplas aparecem quando o fio de cabelo está fraco. E ele vai enfraquecendo por várias razões, como ressecamento, exposição ao sol, alimentação inadequada, processos químicos como tintura, alisamento ou permanente. Além de sofrer essas agressões ele também tem o desgaste natural. Quando as pontas surgem, a única saída é um corte, mas você pode apelar para paliativos, como cremes leave-in e algumas gotinhas de silicone. Assim você cria uma película ao redor do fio e une temporariamente as pontas.

O mais importante é evitar seu aparecimento. Por isso hidrate bem, tanto em casa quanto no salão, e utilize hidratantes leave-in e produtos com proteção solar específicos para cabelos. Além disso tudo, corte seus cabelos pelo menos a cada 3 meses.

Lavar diariamente aumenta a queda de cabelos?

Não. Mesmo lavando todos os dias, você continua a perder entre 50 e 100 fios por dia em média, o que é considerado normal. A lavagem diária é ruim em algumas situações, como nos cabelos ressecados.

Perdi muitos cabelos depois que ganhei meu filho. Como estou grávida novamente, gostaria de fazer desde já um tratamento para evitar que isso se repita. O que me sugere?

Para diminuir o risco da queda de cabelos após o parto, procure descansar, se alimentar bem e tomar suplementos indicados para a gestação e período de amamentação. Também tente relaxar depois que o nenê nascer, apesar de esta ser uma fase trabalhosa e estressante.

Mesmo fazendo o que foi recomendado, é possível haver queda de cabelos pós-parto. Se acontecer, um dermatologista pode receitar uma loção capilar fortificante para acelerar o processo de melhora. E tenha certeza de que essa queda irá parar mesmo sem tratamento, e que tudo voltará ao normal.

Estou amamentando meu filho de 4 meses de idade. Estou desesperada com meus cabelos, que estão caindo demais. Existe alguma coisa que eu possa fazer? Vitaminas ajudariam?

É comum a queda de cabelos alguns meses após o parto e existem alguns motivos para isso:

1 – O stress emocional e físico do parto podem desencadear um fenômeno chamado eflúvio telógeno pós-parto. É uma queda abrupta e intensa, que dura de quatro a seis meses e geralmente melhora sozinha.

2 – Os cabelos crescem mais durante a gravidez. Nesse período, os hormônios femininos garantem que a fase de crescimento dos fios seja maior. Após o parto, diminui a dosagem dos hormônios femininos e, então, muitos fios entram em queda.

3 – Gravidez e lactação consomem energia da mulher. Os cabelos podem estar em queda por carência nutricional. Isso pode ser identificado em uma consulta médica detalhada, que inclui a avaliação de exames laboratoriais.

4 – Existe a possibilidade de alguma doença estar por trás da queda de cabelos. Nesse caso, a queda cessará com a identificação e tratamento do problema inicial.

Estabelecido o diagnóstico, parte-se para o tratamento. Vitaminas ou suplementação de ferro ajudarão no caso de carência nutricional. Mas se a queda estiver acontecendo pela mudança nas taxas hormonais ou pelo eflúvio telógeno pós-parto, o suplemento de vitaminas ou de ferro pouco ajuda. Nesse caso, o dermatologista pode prescrever uma loção que ativa o funcionamento das raízes dos cabelos.

Descanse sempre que possível, alimente-se bem e fique calma, pois stress acentua a queda.

MELASMA

Existe algum tratamento via oral para melasma?

Nos últimos anos foram descobertos ativos via oral que diminuem a vermelhidão após a exposição ao sol. Eles aumentam a resistência da pele ao sol, e isso pode ajudar no tratamento do melasma. O uso desse tipo de produto complementa (mas não substitui) o tratamento à base de cremes e peelings químicos.

PELE OLEOSA

Tenho pele oleosa e com espinhas, mas gostaria de usar hidratante para o rosto. Tenho medo que isso piore minhas espinhas. O que me sugere?

Existem hidratantes adequados para pessoas com pele oleosa e propensa a acne. Por exemplo, os hidratantes faciais em gel ou espuma oil-free. Do mesmo modo, existem protetores solares adequados à sua situação. Vale a pena usar esses produtos, que ajudam a pele a ficar mais saudável e bonita, além de prevenir rugas.

REJUVENESCIMENTO

Os cremes para a região do pescoço e colo são os mesmos que os usados no rosto?

Sim, o creme para uso em colo e pescoço pode ser o mesmo usado no rosto. A pele do pescoço e colo é sensível e delicada. É um erro caprichar nos cuidados com o rosto e se esquecer de proteger e tratar essa região. Um bom regime de tratamento, sempre mediante avaliação médica, é o seguinte: pela manhã, hidrate usando produtos com ceramidas, manteiga de karité, e glicerina. O hidratante pode incluir vitamina C, anti-oxidante que trata e previne rugas finas. Ou ainda outros anti-oxidantes, como vitamina E ou a Coenzima Q10. Em seguida, aplique um bom protetor solar, que deve se adequar a seu tipo de pele: se você tiver a pele seca, pode ser um produto cremoso. Se sua pele tiver tendência a oleosidade, aplique um protetor solar em loção oil-free, ou seja, sem óleo na composição. À noite, use cremes rejuvenescedores, como os à base de ácido glicólico ou retinóico.

Cremes à base de colágeno aumentam o colágeno da nossa pele?

A pele não absorve o colágeno dos cremes faciais. Cremes com colágeno somente melhoram a hidratação da pele. Se o objetivo for aumentar o colágeno da sua pele, use produtos que contenham ácidos na formulação, que estimulam nosso organismo a produzir colágeno.